Em busca da estampa toque zero, a serigrafia de Lima e outras coisas.

Em fevereiro de 2020, fui para Lima no Peru fazer um curso de serigrafia na icônica Taller Ikarus de Joy Susano.


Conhecida por suas estampas bem criativas, geralmente com imagens reticuladas e toque zero, as camisetas Ikarus de Joy sempre chamam a atenção de meus alunos quando as mostro em nosso Curso de Serigrafia Pro+Expert.




E sempre a grande surpresa de todos é quando digo que aquelas estampas são feitas em telas com poliéster 120 fios e tintas base de água, bom dessa vez fui pessoalmente a Lima conferir a produção. Fiquei por lá 20 dias, alem do curso aproveitei para estudar e praticar espanhol e claro conhecer o que acontece por lá no mercado de serigrafia/silkscreen.


O que posso dizer é que voltei com muito mais que esperava na bagagem... cultura, arqueologia, gastronomia e boas amizades.

Loja da Ikarus no bairro Miraflores em Lima,Peru

Logo na minha primeira semana participei do Treinamento em Serigrafia da Taller Ikarus, no conteúdo aulas sobre como montar uma marca, revelação de matrizes, formulação de cores e claro muita impressão em técnicas como plastisol, corrosão, tintas clear e efeitos diferenciados.


O Taller fica localizado na Av. Canadá no bairro La Vitoria, no ultimo andar de um prédio

comercial, em um espaço bem amplo conta com sala de aula com mesa de apoio, sala de Impressão com mesa corrida, berços, sala para corte de tecidos e costura, além de um showroom de produtos.


Porta de entrada do prédio na Av. Canada

Na turma estavam pessoas de vários localizações de Peru, alem de Bolívia e Argentina. Nestes dias de curso tive o prazer de estampar algumas conhecidas estampas em retículas finas e toque zero que são características da marca Ikarus.

Curso de Serigrafia Taller Ikarus


Quadros de Madeira


Vamos começar pelos quadros. Na Taller Ikarus embora haja muitos quadros de alumínio, basicamente em suas produções para marca ou mesmo nos cursos, os mais utilizados são os quadros de madeira.

Estes quadros se diferenciam dos que temos por aqui no Brasil por serem mais duros e estáveis, porem como em todos os quadros de madeira não é possível aplicar um alta tensão na sua esticagem, porém essa tensão média não me pareceu afetar os resultados finais das estampas produzidas na Ikarus. Isso se dá principalmente pelo fato de utilizarem tintas corrosão e tintas clear em telas de 120 fios.... :O



Telas 120 fios em Tintas base de água???


Sim e em plastisol também! As estampas da Ikarus são na sua maioria estampas reticuladas em cromias com base branca reticulada e branco brilho, mas também estampas por processo simulado.


No caso do plastisol especificamente o detalhe é amaciar e diluir a tinta para que ela fique bem "fina" a ponto de passar pela trama do tecido 120 fios



E as tintas base de água em telas 120 fios? Calma garoto(a) não tente fazer isso em casa! Vamos entender o contexto: Lima está ao nível do mar, e ao longo do ano sua temperatura é bem amena e oscila entre 15 a 27 graus e o principal: sua umidade relativa do ar é acima de 80%.

Esse é o principal fator que possibilita trabalhar com tintas base d´agua sem um entupimento absurdo.


Além disso como o foco do trabalho é com tintas corrosão, chamada por lá de discharge (como a Tinta Hidrocryl Super Corrosão) e tintas Clear / incolor pigmentadas (chamam lá de coupage) e todas com cura ao calor. O entupimento também diminui porque basicamente essas tintas possuem pouca resina e resinas de toque mais suave.( Linha Sericryl Toque Zero Estufa da Gênesis por exemplo)


Se você não conhece Corrosão dá uma olhada nesse vídeo aqui:


A tinta corrosão por "desbotar" o tecido, confere o verdadeiro TOQUE ZERO, mas atenção: Não é em todo tecido que a corrosão funciona. Da uma olhada nesse vídeo abaixo:



Esse vídeo eu tirei de uma Live do Terça de Sucesso que fiz no youtube no canal da Gênesis Tintas no Youtube


A Live completa tá aí em baixo:


Este tipo de estampa que basicamente é aplicar corrosão no fundo de tecidos pretos ou escuros e depois aplicar o clear pigmentado confere sempre um toque muito suave, chegando muito próximo ao toque zero total.


Mas não é só o poliéster do quadro e a tinta que influenciam o resultado da estampa, temos um outro fator muito importante...


Algodão Pima


O tecido também é um fator muito importante para o toque da estampa, o algodão Peruano conhecido como Algodão Pima é extremamente macio e com uma leve elasticidade natural. Este é um algodão de fibra longa, coisa que não temos por aqui, onde se pode fazer finos fios que darão essa maciez no tecido. Mas no Peru não tem somente o algodão Pima, existe também o algodão Tanguis que é de extrema qualidade também porem um pouco mais em conta.

Se você quer saber mais sobre tecidos (incluindo aí o Pima) da uma olhada nessa Live do terça de Sucesso que fiz com o Favila que é especialista no assunto:


E porque não temos esses tipos de algodão dando sopa por aqui?

Não tenho plena certeza mas desconfio que é por preço! Andando por Gamarra, que é um bairro onde existem várias quadras de fornecedores de tecidos, tintas e serviços como corte, modelagem, costura, sublimação e tudo mais, consegui registar uma foto dos preços dos tecidos:


Agora vamos as contas: O tecido de Algodão (jersey) 40/1 Pima está 51 soles /kg (soles é a moeda do Peru). Pelo cambio agora de fevereiro/2020 isso sairá como que R$ 66,00 /Kg.

Agora se colocarmos frete, taxas de importação (esses 2 somados vão passar de 100% do valor) e lucro de quem vende (evidente) esse tecido iria facilmente para R$180,00/kg. Resumindo, o Pima no Perú já não é muito barato, pra trazer pra cá então... praticamente inviável.


Bom como citei Gamarra mais acima, eu pude por duas vezes visitar o bairro pra conhecer melhor,ma primeira vez foi com o Joy Susano e a turma do curso e na segunda vez fomos eu, Joy e Guilherme Ishii da Gênesis. Pra você ter uma ideia eu fiz pequenos vídeos, dá uma olhada:




O que me chamou a atenção são os tecidos empacotados em pacotes de aproximadamente 20kg. Mesmo já desenrolado e em pacotes planos não se elimina a necessidade de infestar e descançar o tecido. Andando por Gamarra vemos as variedades de opções de tecidos, sempre que existe o sulfixo RX após o nome do tecido, significa que aquele tingimento foi reativo (Ex: Jersey 30/1 RX)


Resumão da estampa toque zero em fundo escuro


Para obter uma estampa toque zero em tecidos escuros precisamos então de uma boa arte reticulada, um tecido com fios bem finos ( 40/1 ou mais) e que seja reativo a corrosão, tintas corrosão de fundo e tintas clear pigmentada nas cores tudo isso aplicado em telas de 120 fios.

Mas não é só isso...


A industria têxtil em Lima


Com o passar dos anos e a enorme concorrência interna fizeram a cadeia produtiva têxtil avançar muito, pais tradicional fornecedor de grande marcas como Abercrombie & Fitch, Hugo Boss, Lacoste e muitos outros, se especializaram e atender clientes com alta exigência de qualidade, desde o tecido, modelagem, costura, estampa, etc.

Em Lima encontramos tudo o que precisamos para montar uma marca de camisetas, sem necessariamente precisar colocar a mão em nada. No segundo andar da Galería Yuyide em Gamarra, você pode encontrar centenas de modelistas (pradonistas como se dizem por lá), neste mesmo prédio temos muitos confeccionistas, pelas ruas compramos os tecidos, podemos fazer as etiquetas personalizadas e também estampar, temos também estamparias em Gamarra! Como por exemplo as Estamparias do Manoel Castillo e Lorenzo Barboza ambos foram alunos do Joy Susano na Taller Ikarus


Visita dos alunos do Curso a Estamparia de Manoel Castillo em Gamarra



Estamparia de Lorenzo Barboza- na foto Moacir Ferreira (eu), Lorenzo e Joy Susano


Aproveitei também e perguntei ao Lorenzo qual conselho ele daria pra quem está começando:


Agora se você quer estampar suas próprias pecas, existem inúmeras lojas de produtos serigráficos em Gamarra, em geral são lojas de fabricantes de tintas:

Loja de Produtos Serigraficos da Celly - Gamarra

Bom mas voltando ao tema TOQUE ZERO, um dos fatores que fazem toda a diferença nas peças ,e que não estamos muito acostumados por aqui, é a PRÉ-LAVAGEM para encolhimento do tecido e lavagem final com amaciante após a peça estar pronta.

Esse cuidado muda sensivelmente o resultado final da camiseta.


É claro que a facilidade de ter todos estes fornecedores de serviços a mão ajuda muito na execução de peças incríveis, porem também é uma questão de cultura, no Peru o padrão de qualidade e o nível de exigência é bem maior que por aqui em função da grande concorrência.


E por falar em cultura...



O que vi caminhando em Lima: Patriotismo, ruas cheias, comida boa, sítios arquelógicos, paisagens lindas, transito intenso e buzinas.


Cheguei em Lima na madrugada de domingo dia 02 de fevereiro e fui recepcionado pelo meu amigo Joy que foi me buscar no aeroporto, ao nos deslocarmos pela cidade percebi uma coisa interessante, as ruas e praças estavam cheias no centro mesmo sendo 2 horas da manhã.


Cheguei no apartamento que tinha alugado pelo airbnb e sempre é uma surpresa... Porém dei muita sorte, o apartamento é zerado e de frente pra um pequeno shopping, que chama Plaza Santa Catalina, nesse shopping tinha alguns restaurantes, cinema, e academia (não usei os dois últimos, hehehehe). Dei uma descansada, levantei próximo da 9 da manha e fui atras de um chip de celular, com o chip em mãos e internet liberada agora eu estava pronto pra aproveitar os quase 20 dias que viriam pela frente. No mesmo domingo fui com Joy e sua esposa Yessica pára o centro de Lima, onde por sorte tive a oportunidade de ver uma festividade a ¡PASACALLE DE LA FIESTA DE LA CANDELARIA! Esta festa é um pouco parecida com a Folia de Reis que acontece aqui, e embora seja uma festa católica é marcada por um sincretismo religioso, na verdade é uma mistura de religiões tradicionais e catolicismo.


Fiz também uns pequenos vídeos, dá uma olhada:



Lima tem muitos bairros legais e bem bonitos como Miraflores por exemplo, de onde pudemos caminhar da loja da Ikarus até o shopping Larcomar. Nesse caminho passamos pelo Parque Kennedy ou Central Park de Lima ou como é mais conhecido Parque dos Gatos, neste parque vivem centenas de gatos que ficam posando para fotos...


Caminhamos até o Malecón de la Reserva, onde fomos até o shopping Larcomar. Shopping praticamente todo aberto:


Larcomar

A vista é muito impressionante pois estamos em um paredão bem acima do mar


Inclusive caminhar por Lima é bem interessante, todos os dias eu ia caminhando de meu apartamento até a Taller Ikarus (por volta de umas 6 quadras). Nessa caminhada eu ia por dentro de bairros fechados com portão, nesses bairros tranquilos sempre cruzava uma ou outra praca com criança brincando ou auguem passeando com seus cachorros. Fiz um vídeo dessa caminhada, olha aí:


A questão das bandeiras em casa e praças é bem comum em alguns países da América Latina, infelizmente aqui no Brasil se você colocar uma bandeira na porta da sua casa vão te chamar de extrema direita, golpista, e que tem parte com o véio da Havan... hehehehe. Espere sinceramente que isto acabe em breve e possamos valorizar nossa bandeira sem que ninguém confunda patriotismo com partidarismo.


Os Torito de Pucará que mostrei acima da casa, depois dá uma pesquisada que é interessante.


Por falar em patriotismo eu também tive a oportunidade de acompanhar a troca da guarda no Palacio de Gobierno localizado na Plaza de Armas, bem no centro de Lima, muito interessante a banda e fui pego de surpresa.. confesso que fiquei esperando o Darth Vader.


A banda saiu do Palácio e tocou varias musicas na praça, sobretudo musicas românticas porque era dia dos namorados. Entre outras musicas rolou até um Leandro e Leonardo:


Após tocar inúmeras canções o maestro e sua banda voltam para o palácio para efetivamente fazer a troca da guarda.

E aí a troca da Guarda!


A questão do patriotismo também está explicito nas camisetas Ikarus em sua coleção PATRIA, onde se valorizam símbolos e escudos nacionais e heróis da pátria.








Ainda caminhando pelo centro fui até o museu convento San Francisco e visitei suas catacumbas, passeio muito interessante e recomendo pra quem estiver por lá (obs: os esqueletos são reais)

Se quiser mais informações sobre o Convento acessa aqui


Eu sempre gostei do tema arqueologia e confesso que quando era criança meu sonho era ser arqueólogo, hoje graças ao meu trabalho junto a SilkTV e Gênesis Tintas sempre que tenho a chance de visitar sítios arqueológicos ou mesmo pontos históricos eu faço, e em Lima isso ficou até mais fácil. A cidade é repleta de sítios arqueológicos como essas ruínas que fica em Miraflores a famosa Huaca Pucllana.




Nessa pegada Indiana Jones, aproveitei um domingo para ir conhecer o sítio arqueológico de Caral, que fica a mais ou menos 180 km de Lima. Peguei um ônibus as 5 horas da manhã e depois de 4 horas cheguei em Barranca onde fui recepcionado pelo Rogelio da Norte Chico Tour uma pequena agencia de viagem que fica na cidade.


Caminhamos uns 4 quarteirões e Rogelio já foi explicando um pouco da historias dos sítios arqueológicos que iriamos visitar:


Apos essa explicações fomos ao mercado municipal de Barranca para tomar um café da manhã, curioso que as pessoas no Peru costumam fazer refeições no café da manhã.


Após o nosso café, pegamos uma pequena van e fomos em direção a Caral (cerca de 23 km) no caminho deparamos uma plantação de algodão Pima, ele mesmo, aquele que falei mais acima. Essa plantação está na margem do rio Supe.


Quiser saber sobre o processo de fabricação da uma olhada no site dessa empresa: http://www.creditex.com.pe/


Bom chegando a Caral descobri mais sobre essa civilização que possui mais de 5000 anos e era comandada pelas mulheres, coisas impressionantes como por exemplo suas construções resistentes a terremotos e sua engenharia muito moderna pra época.





Eu teria muitas coisas para contar de caral mas acho que vou deixar pra um outro post. Se voce quiser saber mais dá uma olhada no site oficial: http://www.zonacaral.gob.pe/


De Caral seguimos viagem para conhecer a Fortaleza Paramonga construída pelo povo Chimú mais ou menos no ano 1100 DC e posteriormente conquistada pelos Incas. O sítio arqueológico esta bastante abandonado e um pouco depredado, mas mesmo assim é muito bonito conferir a imponência da construção feita em adobes de barro.



Nesse ponto onde aponto com a mão existia uma espécie de tabuleiro, segundo a página a Fortaleza de Paramonga:


Sobre esta especie de tablero, que en alguna foto perdida de los años treinta, se ve perfectamente conservada, esta cuadrícula enlucida y decorada con colores, algunos dicen que es la representación del "estandarte" del inca, otros, que era una mesada para estrategias, cuentas, o un verdadero tablero de "ajedrez"?.

Tradução: Sobre esta espécie de tabuleiro, que em alguma foto perdida dos anos trinta, parece perfeitamente conservada, esta grelha enlucida e decorada com cores, alguns dizem que é a representação do "estandarte" do Inca, outros, que era uma mesada para estratégias , contas, ou um verdadeiro tabuleiro de "xadrez"?.



Com certeza meu domingo foi muito rico cultural e historicamente e posso dizer também que a energia e a emoção de estar nessas ruínas foram indescritíveis. Quero muito voltar a Caral e Paramonga com mais tempo para poder estudar em conhecer mais.


De volta a Lima fui conhecer o Bairro de Barranco (não confunda com a cidade de Barranca, onde fica Caral). O Bairro é bem parecido no seu estilo com a Vila Madalena em São Paulo, bem boehmio o bairro é cheio de restaurantes, bares e grafite na paredes:


A Ikarus possui um pequena banca em uma charmosa feira em Barranco:


E a comida?


Bom isso é uma historia a parte, e percebo que não conheci nem uns 5% de tudo que existe de pratos peruanos. Confesso que cheguei bem tímido e sem saber exatamente o que comer nesses quase 20 dias, durante o curso almoçavamos em um restaurante bem pequeno próximo a Taller Ikarus onde o Menu (entrada + refeição + suco) saia por 8 soles (s/8) e isso é muito barato.

Mas meu preferido (depois que descobri) era o Arroz com Mariscos e Ceviche que acompanhava esse milho chamado Choclo (um milho um pouco maior do que temos aqui) e batata doce.


O Ceviche é um prato tradicional da culinária peruana baseado em peixe cru marinado em suco de limão.


Lomo Saltado

Também uma excelente opção que comi algumas vezes durante minha estadia.

Tirado do Wikipedia: O Lomo saltado é um prato tradicional e popular do Peru, um salteado que normalmente combina tiras marinadas de lombo com cebola, tomate, batata frita e outros ingredientes; e normalmente é servido com arroz.





Chicha Morada

A bebida não alcoólica mais comum é a CHICHA MORADA, um refresco feito a partir de uma fervura de milho roxo, muito comum por lá, junto com especiarias e frutas.





Pisco Sour

Já a bebida alcoólica mais conhecida é o Pisco Sour, que é um coquetel típico preparado à base de pisco e limão. O Pisco é uma aguardente feita de Uva, e a bebida parece muito uma caipirinha cremosa.

Para provar fomos até o restaurante EL BULEVARCITO.


Pisco Sour de Maracujá

Anota aí a receita que eu peguei em uma praça de Pueblo Libre


Mas como eu disse acima, em Lima a culinária é extensa e eu não tenho a pretensão de descrever aqui, mesmo porque eu conheci muito pouco. No vídeo abaixo eu dou uma voltinha no mercado de Los Olivos, muito parecido com nossos mercados municipais daqui.


Bom vou ficando por aqui, espero que você tenha gostado. Deixa um comentário aí em baixo o que você achou mais curioso ou mesmo manda aí sua pergunta.


Valeu.


541 visualizações5 comentários

Onde me achar?     Aqui: moacir@silktv.com.br   +55 16 98116.1816

© 2020 by moacirferreira.com